Labirinto de Sonhos

Labirinto de Sonhos

Três coisas que me motivam

Tenho passado por uns períodos meio bad ultimamente, em muitos momentos preciso olhar para dentro, admitir pra mim as coisas que me assustam, ou me fazem chorar. Mas depois de uma tempestade sempre vem a calmaria.E nessa hora eu tento me conectar com coisas que me motivam, enchem minha mente de positividade e vontade. Vim contar pra vocês o que são essas coisas:

2 Ouvir música: (quem não gosta de uma boa música pra relaxar neh?) Principalmente músicas com o ritmo fofinho, envolvente e dançante. Aquelas músicas que você mexe a cabeça acompanhando o ritmo e acaba sorrindo.

Duas das minhas preferidas:

2 Reler as coisas que já escrevi: Gosto de reler meus textos, dá aquela pitadinha de orgulho (nem parece que fui eu que escrevi aquilo) e relembrar do sentimento de quando o escrevi. Isso ajuda a me animar, dá vontade de escrever e ás vezes vem acompanhado de novas ideias.

2 Assistir um filme ou série: Seja reassistir uma que já acompanho (como Once upon a time que to assistindo de novo) ou começar uma nova, ou peço alguma indicação pro maridinho (ele sempre me dá boas recomendações). Acho interessante se conectar com novas histórias e novos mundos me dá inspiração, me motiva e sempre aprendo algo sobre a vida, ou consigo me identificar com algum personagem e isso pode me ajudar a me entender melhor.

beda unites

E você? O que gosta de fazer para se motivar?? Me conta aqui nos comentários 😉

Somos um grande ponto de interrogação

"A vida é um ponto de interrogação. Cada ser humano, seja ele intelectual ou iletrado, é uma grande pergunta em busca de uma grande resposta." – Augusto Cury.

Qual o propósito da minha vida? Por que estou aqui? Por que minha vida/ infância/ adolescência foi assim? – são perguntas como essa que muitas vezes rodeiam em minha mente. Chega certa idade na vida que tudo ao redor causa certa dúvida. Dúvida que existe desde qual lugar quer comer até duvida sobre qual curso escolher fazer, se vai morar sozinha ou continuar na casa dos pais. Sei que esse momento da vida é bem estressante e confuso, mas acho que é um momento muito precioso. Acabamos percebendo que somos uma grande questão nesse universo, que cada pessoa é uma incógnita. Cada um de nós têm milhares de perguntas a serem respondidas. Mas quer saber? Perguntar não é ruim. Duvidar é uma arte. Duvidar impulsiona a uma busca pelo novo, por novas condições, impulsiona uma busca por novas possibilidades. Com o tempo, muitos deixam de questionar, acabam deixando as coisas como estão, deixam a vida como está se apegam à frustração e o resultado é uma vida não muito feliz e bem pacata.

Questione. Faça perguntas. Busque novas oportunidades. Se desafie. A vida é um ponto de interrogação. E cabe a você perguntar.

Pergunte, questione sem pressa. Se permita desafiar, se permita questionar.

Use a arte da dúvida para questionar tudo aquilo que doentilmente o controla, como pensamentos angustiantes, frustrações e ideias de perseguição.

Todos os grandes pensadores, como Isaac Newton, Freud, Thomas Edson, usaram, ainda que intuitivamente a arte da dúvida para combater as ideias correntes e gerar novas ideias.

beda unites

Beda 2016

Oiiie pessoal!

Todo ano quando chega agosto bate aquela vontadezinha de participar do BEDA. Pra quem não sabe, significa Blog Every Day August, que consiste em postar todos os dias no mês de Agosto. No ano passado no Mundo Colorido eu tava super mega empolgada mas não consegui. Desanimei no meio do processo. Esse ano eu não estou na empolgação toda, mas to com o pressentimento de que consigo. Bom, nada melhor que um desafio pra animar um pouco não acham? Sem pressão, claro. Eu não sou do tipo que funciona sob pressão, o intuito é explorar a criatividade do blogueiro e se divertir. Quem sabe não encontro um novo assunto aqui pro blog?

Tenho vários posts quase prontos que vou trazer, pretendo trazer indicações, blogagens coletivas, contos, e uns momentos de conversa blogueira/leitor. Vou ressuscitar o desafio dos 30 dias de minimalismo também. Quero preparar muita coisa legal e dessa vez estou me sentindo bem comprometida com o desafio!

Então fiquem de olho! E nos vemos!

Vai participar do BEDA também? Me conta nos comentários! *-*

Fotos autorais preferidas

Hoje eu dei uma olhada no meu Flickr em busca das minhas fotos autorais preferidas. Sempre tem aquela foto que foi bem produzida, ou que a luz colaborou pra que ficasse incrível.

Nas mãos
P&B
ceu
cores
Tem um neném na minha fotoAdoro as fotos quando o Bidu contracena discretamente kkkk E ele arrasa! O mestre da espontaneidade e fofura! Esse póst faz parte da blogagem do grupo Blogueiras com B, um grupo amorzinho de meninas que adoram postar juntas! Vem conferir também os outros posts:

ParolarIsabelleDeu na telha!

A caixa misteriosa

Aquela manhã foi conturbada. O telefone não parava de tocar, e ela meio no mundo da lua tentando entender o que havia acontecido naquela manhã.

O relógio demorava uma eternidade para andar os ponteiros e a agonia estava tomando conta de sua mente.

— Como? Por quê? Que menina? Eu conheço alguma menininha de aparentemente cinco anos? — perguntas sem respostas borbulhavam em sua mente. Ao mesmo tempo ela estranhava toda aquela sensação de desespero, parecia que ela sabia que algo iria acontecer.

—ALICE! — falou Josie em tom um pouco alto e logo caindo em gargalhadas — você está falando sozinha! Hahaha

Alice deu uma risadinha tímida e ficou corada de vergonha. Tentava se concentrar, mas não estava dando certo. Precisava que a hora do almoço chegasse logo para abrir a curiosa caixinha.

Quando o sino da igreja começou a badalar, ela saiu o mais rápido que pôde para casa, sentindo um misto de alegria e medo. Sempre foi uma menina medrosa, pensou se aquilo poderia ser uma pegadinha ou uma brincadeira de mal gosto de alguém. Mas aquela sensação que tinha era bem estranha, parecia ser algo de "outro mundo".

Chegou a sua casa, preparou sua comida, ligou uma música, pegou a caixinha na mão. Olhou-a por um pequeno instante, viu o laço dourado e cuidadosamente o puxou. Respirou aliviada, pois ele se desfez facilmente, mas ainda continua brilhante. Tirou o papel que envolvia a caixa e ficou surpresa ao ver que era uma bela caixa de madeira, talhada nos mínimos detalhes, com arabescos e pequenos desenhos, desenhos esses que soaram familiares a ela, mas não conseguia se lembrar de onde os conhecia. Permaneceu admirando a beleza e delicadeza dos desenhos por uns minutos e resolveu abrir a caixa. Ao abrir, se deparou com um pequeno bilhete, no qual estava escrito:

Querida,

Eu a vi chorar. Eu a vi sofrer. Vi se superar. Mas também tive que te ver desistir. Não desista ainda de quem você é. Precisamos de você, precisamos muito da sua esperança que nunca morreu. Você é uma mulher iluminada, não deixe essa luz se apagar. Pode ser difícil pedir para uma mulher adulta e muitos adultos deixam de acreditar em coisas mágicas. Mas acredite. A magia está morrendo e só você pode nos ajudar.

Temos um pequeno presente para você, use-o e ele te ajudará a se lembrar.

Ela tirou o papel cuidadosamente colocado em cima de algo, olhando com certa desconfiança, aquela coisa toda estava parecendo muita loucura;

— Doces? Mas… Doces? Quem foi que mandou? Que doces estranhos são esses?

Os doces tinham um cheiro extraordinário. Uma mistura de especiarias com frutas silvestres. Havia três doces dentro da caixa, todos em formatos diferentes. O primeiro tinha o formato de flor, cor-de-rosa e com algo que parecia ser gliter em cima e tinha cheiro de morango e frutas vermelhas. O segundo tinha o formato parecido com uma pequena concha, tinha cheiro de chocolate branco com nozes ou castanhas. O terceiro doce tinha um formato bem curioso, meio difícil de saber o que era. Parecia um símbolo e aquele símbolo era familiar para Alice, mas ela não sabia exatamente o que era.

Ela pegou um doce e comeu.

Continua…

Esse post faz parte de um novo projeto aqui no blog chamado Contos de um Mundo Colorido. Fiquem de olho para os próximos posts!! Tem muita história vindo por ai!!

Parte IParte II

Algo diferente no ar

Chegando no trabalho, sua mesa já estava cheia de recados e coisas a fazer. Pelo menos parece que ninguém notou seu atraso. Em seu trabalho ela praticamente não era notada. Não tinha amigos, ninguém fazia nem o mínimo esforço pra falar com ela. Depois de um tempo, passou a nem ligar mais para isso. Era melhor ficar na dela, vendo seus colegas de trabalho somente no horário de expediente. Vivia melhor assim. Não incomodava ninguém, e ninguém a incomodava.

Naquela manha, tudo parecia diferente. Sua colega ao lado até a cumprimentou e deu um sorriso, olhou para a pequena caixinha e disse:

– Alice, uma menininha entrou aqui hoje, perguntou por você e pediu para te entregar isso. Ah, e disse também que te veria em breve.

– O quê? Uma criança? Uma menininha? Mas… mas… que menina? Como ela era? – perguntou com um olhar diferente e parecendo assustada.

–  Ahhh, era uma menininha linda – respondeu Josie. – ela apareceu aqui bem cedinho, nem todos no escritório haviam chegado. Aparentava ter uns 5 anos de idade e usava um lindo vestidinho verde claro. Logo depois que ela saiu, fui até a janela para ver se alguém estava com ela, mas não vi ninguém. Parece que ela entrou em uma livraria ou biblioteca na esquina dessa rua.

– Hummmm, ok. Muito obrigada Josie. – disse pegando a caixinha com a mão e examinando-a, tentando imaginar quem seria aquela menina e o que havia naquela caixa. Sei que havia um cheiro diferente no ar, algo estranho, mas parecia muito com um sentimento bom. Mesmo sem abrir a caixinha, Alice sentia algo diferente no ar.

Como já tinha se atrasado, resolveu guardar o pequeno presente misterioso para olhar no almoço, pois ela estava com muitos afazeres.

Uma coisa que me consola naquele dia, foi que Alice sorriu. Vi uma pontinha daquele olhar curioso e cheio de esperança. Será que um dia, verei novamente seus olhos iluminados com esperança e os mais sinceros sorrisos dessa criança?

A esperança em mim perdura, doce criança.

Continua…

Esse post faz parte de um novo projeto aqui no blog chamado Contos de um Mundo Colorido. Fiquem de olho para os próximos posts!! Tem muita história vindo por ai!!

Pequenas Flores de crochê

Resolvi montar uma pequena sessão de fotos com meus artesanatos e saiu umas fotos muito fofas! Eu adorei o resultado e pretendo trazer mais fotos e fofuras pra vocês! Achei que o resultado ficou melhor do que o esperado e eu adorei as fotos!
AlgumasBidu ao fundo Minha coleção de florzinhas

 Mais algumas Enfeite de bicicleta

 Mão florida Bidu arteiro atrás

 Cores Nas mãos

 Azul, rosa, marron e amarelo Flores e céu

 P&B Butterfly

Tem um neném na minha foto Bidu arrasando
 Para ver o álbum completo CLIQUE AQUIPose pra foto

Um dia aparentemente comum…

Era um dia como outro qualquer. O sol nasceu, trouxe toda sua cor e calor para o novo dia que começara. Mas parece que nada daria certo naquele dia. Se tem dias que a gente acorda com o pé esquerdo, hoje foi um desses. Ela acordou já atrasada para o trabalho, teve que ir rápido, mal tomou café da manhã e saiu. A caminho do trabalho, um trânsito terrível. Parece que todos perderam a hora hoje! Angustiada, ela olhava para o relógio e os minutos passavam rápido demais, e ela já pensando na bronca que levaria por atrasar, se sua mesa já estaria lotada de coisas a fazer quando chegasse, e se daria conta de mais um dia, mais um dia frustrante, e o desejo de chutar o balde daquele serviço que consumia suas energias.

Um raio de sol entrou pela janela do carro e iluminou sua face. Olhando para o espelho, viu seu rosto cansado, sua feição não era a mesma de uns tempos atrás.

– Eu tinha um olhar diferente, mais iluminado, mais cheio de cor. – disse se vendo no espelho e dando uma olhadela na fila de carros à sua frente.

Era verdade. Sua vida mudou, do nada a vida dela foi mudando, foi deixando de ser aquela menina sonhadora, foi passando a viver na rotina de acordar, trabalhar e voltar para a casa, somente vivendo os dias arrastada pelas coisas que tinha a fazer. Acabou deixando seus sonhos trancados em uma gaveta para apodrecer, deixou de viver com intensidade, aos poucos foi perdendo o prazer da vida, o brilho no olhar.

Depois de um tempo o trânsito andou. Ela chegou no trabalho, sua mesa estava lotada de coisas a fazer. É… o dia seria longo, e entediante. Mas na mesa havia algo diferente, que lhe chamou a atenção…

Continua…

Esse post faz parte de um novo projeto aqui no blog chamado Contos de um Mundo Colorido. Fiquem de olho para os próximos posts!! Tem muita história vindo por ai!!

Warcraft – O Primeiro Encontro Entre Dois Mundos

Sinopse: A região de Azeroth sempre viveu em paz, até a chegada dos guerreiros Orc. Com a abertura de um portal, eles puderam chegar à nova Terra com a intenção de destruir o povo inimigo. Cada lado da batalha possui um grande herói, e os dois travam uma disputa pessoal, colocando em risco seu povo, sua família e todas as pessoas que amam.

Minha expectativa para o filme começou bem antes. Desde o primeiro trailer, já ficamos super empolgados, não é todo dia que vemos um jogo muito amado ter uma adaptação para o cinema. Nos empolgamos e fizemos nossos tabardos da Aliança e fomos a caráter para a estréia do filme.

O filme mostrou um pouco de cada facção e a meu ver ficou bem perceptível a disputa Horda/Aliança. No filme mostra Gul'dan levando os orcs através do Portal Negro para o mundo de Azeroth. Gul'dan usa uma energia vil que destrói a vida de onde eles passam.

Minhas considerações do filme:

Mesmo há pouco mais de dois anos em contato com os jogos da Blizzard, posso dizer que sou apaixonada pelo universo de Warcraft. Assistir o filme pra mim foi muito emocionante. No filme, há muitos lugares do jogo World of Warcraft que eu já passei voando, ou sempre passo. Ver no filme Ventobravo, Floresta de Elwynn, o Portal Negro foi lindo de se ver. E também ver personagens que amamos, ver os orcs pancosos Durotan, Orgrim, Mão Negra, Garona foi lindo, foi de emocionar. Ver os humanos, o rei Varian quando criança, personagens que são importantes na história que antes não tínhamos contato. Agora, o que me emocionou de verdade, foi ver o Khadgar (no jogo pt-BR Hadgar) foi incrível, vê-lo jovem, curioso e sem saber direito das coisas e lembrar dele agora, um mago foda, incrível, forte pra caramba foi muito bom. Também gostei bastante do modo como a magia foi usada no filme, achei os efeitos visuais da magia MA-RA-VI-LHO-SOS,  o fato da magia ser pronunciada antes de lançar também foi demais. Ah, ver os grifos também foi épico. Veja esse vídeo do comparativo Jogo vs Filme:

 

Gul'dan fdp :v

Khadgar 😀 Novinho, nem imaginava que ia ser um mago super poderoso *-*

Como fã, o filme pra mim foi nota 11. Lindo, maravilhoso e emocionante. Eles erraram algumas coisas no roteiro, vi muitas críticas ruins a respeito do filme, e quem não conhece o jogo vai se sentir meio perdido. Mas lembre-se, o filme não é um "Senhor dos Anéis", o filme é de um jogo cuja história é bem complexa. Lembrando também que eu não sou nenhuma crítica de filmes, só estou falando desse filme aqui porque eu realmente gostei muito!

E para terminar, nossas fotos no cinema com a galera!

Quem disse que não pode haver amizade entre facções diferentes? *-*

E você? Assistiu Warcraft? É fã da Blizzard e do WoW? Me conte nos comentários 😀

Página 7 de 8
12345678