Encontrando o silêncio

Mente cheia, cabeça chega a doer. As mãos estão frias e úmidas. Tento desviar o olhar das pessoas, é constrangedor, tento em vão esconder minha angústia, ali, desnuda e com todos olhando para ela.

“Preciso me acalmar” – dizia silenciosamente para mim mesma, mas nada parecia funcionar. A angústia se assemelhava a um monstro que sempre ficava maior e me fitava com aqueles seus olhos grandes e arregalados, fazendo-me sentir totalmente paralisada. Todos os dias era a mesma coisa, as pessoas me encarando, eu vermelha de vergonha e suando frio.

Abri minha bolsa, peguei meu fone de ouvido e comecei a prestar atenção em meu celular em busca de uma música reconfortante. Depois de colocar uma de minhas músicas preferidas, olhei para a janela em busca de algo que pudesse me ajudar a recuperar minha calma. As nuvens no céu lentamente se mexiam, estavam num movimento tão magnífico que me prendeu a ficar olhando para elas em sua majestosa dança, onde seu movimento parecia sincronizado com as notas da música que tocava. Parei por um tempo para contemplar aquele céu e toda sua beleza. O céu azulado com as nuvens se movendo lentamente, o cheirinho da grama recém irrigada e o vento balançando as folhas das árvores no mesmo ritmo das nuvens. Ali, com aquele espetáculo diante dos meus olhos, fui encontrando um momento sereno dentro de mim, senti a calmaria, pude fechar os olhos, perceber meu batimento cardíaco desacelerando, minha respiração mais devagar, o silêncio dentro de mim, a cura do meu desespero. Ter esse momento de contemplação aquietou os gritos de desespero da minha alma. Trouxe um som leve, como o daquelas árvores mexendo com o vento. Ás vezes tudo que preciso é um momento, a junção de uma música com uma pequena paisagem pela janela pra que eu possa encontrar a voz da calma dentro de mim, silenciar a gritaria e deixar o som de uma bruma calmante dentro do meu ser.

1 Comentário

  • Reply Lari Reis 24/05/2017 at 8:03 pm

    Não sei se esse post é baseado em acontecimentos reais, mas acho tão interessante como, muitas vezes, coisas tão simples conseguem nos tirar do redomoinho do estresse e nos levar para um lugar que, há pouco, parecia tão distante e improvável…

  • Comente aí!