Labirinto de Sonhos

Labirinto de Sonhos

Battle for Azeroth – World of Warcraft

Dia 13 de agosto chegou a nova expansão de World of Warcraft, Battle for Azeroth

Eu estava super mega empolgada depois do cenário de cerco a Lordareon, então a ansiedade tava a mil. Tirei folga porque a intenção era upar insanamente (mas o cansaço venceu). Foram dias fazendo muita quest e me divertindo pra caramba.

Minha pandinha linda toda fofa de piratinha!

Começa lá em Silithus (onde o Sargeras fincou a espadona que machucou o planetinha), lá o Magni quer falar contigo e diz que a própria Azeroth quer nos dar um presente. E o titã nos dá o coração de Azeroth, parte do seu poder para usarmos para deter as forças que assolam o mundo (em forma de colar, pra usar perto do <3 – amei essa parte) e através dele podemos absorver azerita (o sangue de Azeroth) para ficarmos mais fortes.

Fiz as quests da Jaina para ir pra Kul’Tiraz e gente, Porto de Boralus é apaixonante! Todo cenário de pirata, uma trilha sonora maravilhosa e muita muita quest. O primeiro mapa que fiz foi Drustvar, que tem uma história muito boa e que me agradou bastante. Eu joguei com o modo de guerra ativado (vulgo pvp) até o nível 114, depois desliguei e fui ser feliz haha Peguei as quests para começar a Campanha de Guerra, mas escolhi terminar os mapas de Kul’Tiraz primeiro antes de ir para Zandalar.

Kul'Tiraz – mapa da Aliança

Zandalar – mapa da Horda

 

Na sequência, fiz o mapa de Vale Trovamare e depois o Estreito Tiragarde. Quase terminando o último mapa, cheguei no nível 120, consegui aproveitar bem os mapas, parava pra minerar ou pegar tesouros (aproveitar pra upar profissão é o negócio né?) e encontrar lugares legais.

Referência a Ursinho Pooh em Trovamare <3

Terminei os mapas e fui começar a Campanha de Guerra, muita coisa pra fazer e Zandalar é bem legal. Precisei acelerar um pouco essa parte porque queria liberar logo as missões mundiais.

Logo depois que termina as histórias e a Campanha de Guerra, habilitam as missões mundiais, o antigo apito de Argus funciona em Kul’Tiraz e Zandalar, e dá uma boa ajudinha nas missões.

Pra mim valeu a pena, teve muita quest pra fazer, boas histórias, npc’s carismáticos e personagens icônicos (alô Filinto!)

A história da Jaina Proudmore que acontece depois do nível máximo pra mim foi incrível e: JAINA RAINHAAAAAA!

Jaina Rainhaaaaaaaa

Agora ainda tem bastante trabalho pela frente, várias conquistas pra pegar, reputações pra upar.

Nesse post trago mais sobre a minha experiência nesse comecinho de nova expansão, se tiver alguma dúvida ou queira conversar sobre, só me chamar! 😀

Lareil se divertindo!

Gostariam de ver mais postagens como essa por aqui? Me deem a opinião de vocês pra tornar o bloguinho ainda melhor e aconchegante!

Um beijo no coração!

Good Things in August

Apesar de achar que o mês de agosto tá passando devagar, parece que tá passando meio rápido também… já estamos no terceiro domingo do mês e chegou mais um dia de post sobre as pequenas felicidades ao nosso redor, projetinho com a Iza de exercitar o olhar e perceber as coisas boas que acontecem e muitas vezes perdemos no meio da correria da vida.
  • Esse mês foi de trabalhar bastante… muita coisa lá onde eu trabalhava, mal dava tempo de respirar
  • Depois que cortei meu cabelo, comecei a ousar mais com ele soltinho e deixar as ondinhas livres pra viver. Me deu uma sensação de liberdade e me senti mais bonita
  • A expansão de World of Warcraft chegou! Tirei uns dias pra jogar muito Battle for Azeroth e foi maravilhoso, me diverti muito, relaxei e descansei (ah, vai ter um postzinho sobre a expansão nos próximos dias, fiquem de olho)
  • Tomei coragem e fiz o segundo furo na orelha… escolhi um brinco de estrelinha que adorei. To amando e quero olhar no espelho toda hora, nem acredito que depois de anos sonhando em fazer isso eu fiz haha
Quero terminar esse post com uma mensagem pra você e principalmente pra mim mesma:

Algumas coisas ruins acontecem, mas tenta não deixar as nuvens negras te amedrontarem, não deixe de acreditar que o sol está brilhando lá fora.

Dá uma passadinha no blog Dose Criativa pra ver as pequenas felicidades da Iza
Um olhar de amor

Um olhar de amor

Por um pequeno momento, olhei no espelho e vi alguém que merecia ser amada… Parei alguns minutos diante de mim mesma, observei meu olhar cansado, meu cabelo desgrenhado e dentro dos meus olhos alguém que está tentando ser forte, e sendo mais forte do que até imaginava que seria. Me vi com olhos de amor, um filme de toda minha vida se passou pela minha cabeça… onde eu deixei de ser importante para mim mesma? Quando foi que eu me abandonei? Vi amor em mim, muito mais do que eu sou gentil com as pessoas, muito além do amor que dou aqueles que eu amo. Vi amor infinito, vi o amor mais puro e sereno, uma sensação de anos atrás…

Quantas vezes eu esqueci, pelos problemas e desafios da vida, deixei de cuidar de mim. Algo pequeno você pode fazer por você. Que tal um abraço? Ou algum cuidado, quem sabe uma máscara facial ou até fazer as unhas? Ou hidratar o cabelo? Sentar e ler um bom livro… Por muitas vezes eu pensei que estaria cuidando de mim se fizesse algo "importante", mas o amor está nas pequenas coisas. O amor por você mesmo se encontra naquela música que você para pra dançar, se encontra em decidir escovar o cabelo 99 vezes antes de dormir (experiência pessoal, dizem que deixa com mais brilho). O amor está no cuidado, no olhar para si e ver amor, e nada além de amor.

Esse post faz parte de um projetinho de amor do blog Labirinto de Sonhos e Dose Criativa (clique para visitar o blog da Iza)

A conexão mais importante

Por muito tempo eu vivi pensando nos outros, e olhando bem lá atrás, desde a minha infância eu tinha vergonha de simplesmente ser eu. Me escondia, sempre deixava meu cabelo preso, não levantava minha voz, aceitava o que me diziam pra fazer quase sem questionar. Daí surgiram grandes correntes que me acompanharam por muito tempo. E demorei muito para vê-las,

A maior delas é a do “não” – não podia sair, não podia ver x filme ou desenho, não sabia dizer “não” para ninguém, aceitava tudo, não podia falar o que estava pensando, não faz isso, não pode aquilo… Nisso neguei muito de mim mesma para no mínimo tentar me encaixar em algum lugar e ser amada. Mas as pessoas só me achavam fofinha e me queriam por perto somente quando era conveniente, aceitava “amizades” que só me faziam mal por pequenos momentos de alegria, aguentava calada pra não fazer feio, pra não me rebelar e ser ainda mais desprezada do que eu era.

Ultimamente, a teoria de tacar o foda-se (obrigada Mark Ranson por tantas lições maravilhosas no livro A Sutil arte de ligar o foda-se) e isso tem me ajudado a perceber as coisas totalmente sem sentido as quais eu me aprisionei por anos até agora. E meu maior desejo é me livrar  dessa prisão. Quero voar e ser livre, não quero depender de um amigo que só fala comigo quando lhe é conveniente, quero gente verdadeira na minha vida, e o mais importante: quero ser verdadeira comigo mesma. Sei decor e salteado todos os meus defeitos, tudo que eu não gosto na minha personalidade, cada detalhe do meu corpo que me desagrada; mas não sei olhar pra dentro de mim, não sei chegar no mais fundo do meu ser e olhar para meus sentimentos, não sei me dar amor. Não sei como me amar. Em algum momento lá trás eu me perdi me mim, vivo vagando e fazendo tudo o que querem de mim, pois me sinto totalmente perdida.

Sinto necessidade de me conectar comigo mesma. Preciso me encontrar, descobrir meus medos, aprender a cuidar de mim, me dar carinho, me encher de amor e curtir a minha própria presença. Mas eu confesso, não faço ideia de como fazer isso. Decidi então começar de uma forma gentil… Fiz um café da manhã com carinho e eu curti cada momento comigo, limpei minha casa e me senti bem com isso. Começar cuidando de uma ferida, sempre gentil, dançar um pouco sozinha, me dar um abraço e pensar em mim. O que eu quero agora? Quem sou eu?

Essa conexão com meu eu interior é a conexão mais importante de todos, me conhecer melhor que todas as outras pessoas, pois eu sou a mais importante pra mim.

Se conecte consigo mesmo antes de se conectar com outros.

Acalmar a mente? Aquietar? É possível?

Por muito tempo eu li sobre os benefícios da meditação e por N motivos tinha certo receio de começar. Tentei vários aplicativos, maioria deles em inglês. Alguns que não me adaptei muito bem. Comecei usando sons relaxantes em momentos que sentia que estava muito agitada ou simplesmente precisando relaxar um pouco.

Ouvir sons relaxantes começou a me ajudar bastante, encontrei alguns que diziam ajudar com ansiedade e insônia (que era o problema que estava enfrentando na época). De certa forma ajudou. Percebi que minha mente é sapequinha haha e o que funcionava na hora de dormir numa noite, na noite seguinte já não colava mais. O que me deixava zangada comigo mesma e muito frustrada. Testei por pouquíssimo tempo o asmr porém caí na mesma, funcionava ontem e hoje não mais. Ainda continuei procurando, olhando sempre na Play Store por apps que ajudassem com isso e nada parecia surtir efeito.

Até que eu encontrei um app na Play Store chamado Lojong. Ouso até dizer que ele mudou muita coisa em minha vida. Dentro do app me deparei com diversos vídeos rapidinhos e que prendem a atenção falando sobre meditação, benefícios e aquilo me cativou. Eu desejava muito conseguir controlar minha mente. Algo que me marcou muito foi o fato de falarem muito sobre TREINAMENTO DA MENTE. É como “matricular” sua mente em uma academia, treinar aquietá-la, treinar lidar melhor com as emoções, conseguir encontrar um equilíbrio em momentos que a mente fica tão agitada que parece que vai estourar.

Aquela ideia me interessou.

Por que não treinar minha mente? Por que não treinar meu eu a gerenciar minha história? Por que não aprender a ser eu mesma, a me aceitar e parar de me julgar tanto?

Eu desejava buscar equilibrar meus pensamentos, que estavam ficando cada vez piores, mais sombrios e pesados.

Resolvi ceder e tentar. O Lojong tem um caminho com várias etapas de meditação desde atenção plena, relaxamento até bondade amorosa e gratidão. As meditações são guiadas, o pessoal que faz as vozes falam tão tranquilamente que é gostosinho de ouvir. Parar um pouco e simplesmente prestar atenção na respiração me surpreendeu tanto na dificuldade (porque mds, como a mente sai voando e quando tu percebe já está pensando "na morte da bezerra"), e me surpreendeu nas consequências que tive depois de passar 10, 15 minutos do meu dia me ajudou.

O que acontece é que minhas noites são extremamente agitadas. Eu acordo diversas vezes, tenho um sono bem leve. O que mais me incomoda é que eu sempre tenho sonhos sem sentido algum, e é pelo menos 3 sonhos por noite. Maioria das vezes eu acordo ofegante e assustada e volto a dormir. Sonho com umas coisas sinistras mesmo e odeio. Ainda mais quando eu sonho com a realidade, e tenho dificuldade pra perceber se estou sonhando ou acordada… ás vezes eu sonho com o dia todo, e em detalhes, que levantei, tomei café, fui pro trabalho, encontrei tal pessoa na rua, fiz tal coisa… e aí acordo. Sem contar quando eu sei que to no meio de um sonho e não consigo acordar. É horrível, chega a me dar medo de ir dormir e sonhar esse tipo de coisa.

Eu já li em algum lugar algo que compara nossa mente como um macaco doido, pulando de galho em galho. Esse conceito super se encaixa pois minha mente parece exatamente isso, pulando de pensamento em pensamento, sem nenhum controle.

Aí eu comecei a meditar, antes de dormir. Já na cama, e eu não parei de sonhar, mas senti o “macaco” mais calminho e criando mais sonhos bestinhas, do tipo de “ah, sai pra tomar um sorvete e encontrei um cachorro falante”. Alguns deles são até engraçados. Isso é um alívio gigante pra mim. Quando eu deixo de tirar um tempinho pra meditar, nem que seja por 5 minutos, o “macaco” entra num modo insano. Eu imagino como se fosse mais ou menos assim:Imagem relacionada

Sério, a impressão que tenho é de que minha mente fica bagunçando tudo, jogando as coisas na telinha da minha cabeça, de olhos vermelhos, fumegando de raiva, todo vermelhão e gritando loucamente. (é o que eu imagino)

Meditar é como se eu desse um brinquedo pro macaco e ele ficasse entretido e me deixa dormir mais tranquilamente.

Algo que é bem frisado é pra quando sua mente vagueia, a conduzir com carinho a prestar atenção na respiração novamente. Confesso que antes fazia totalmente o contrário, era algo mais ou menos assim: “sua mente estúpida, por que você não se cala e me deixa tentar te acalmar… desse jeito tá difícil.” Amigos, era como tentar tirar doce de criança na força. A coisa ficava pior. Bem pior.

Tem alguns meses que estou fazendo isso, percebi algumas melhoras, mas é sempre uma aprendizagem, nunca paramos de aprender não é? Ainda tenho dificuldade em aquietar o macaquinho, quase todas as vezes eu durmo no meio da meditação (me relaxa bastante, não me julguem), sempre dou umas viajadas e tenho preguiça de fazer toda noite.

Quis dividir essa experiência com vocês, indicar esse app que tem me ajudado muito e agradecer por tudo. Se hoje estou me levantando novamente, é porque estou aprendendo mais sobre mim mesma, e cuidando de mim. É importante, olhar um pouco para si mesmo, compreender os próprios medos e se conscientizar de suas ações, não deixar o macaco pegar o volante e controlar tudo.

Tenho buscado estar mais presente e visitar a “academia mental” mais vezes.

Vou deixar aqui a indicação de alguns livros que li e estou lendo:

10% mais feliz

Atenção plena: Mindfulness

Pequenas atitudes, grandes mudanças

*Links direto da Amazon caso tenha interesse em adquirir algum

Obrigada a quem ficou até aqui, e nos vemos no próximo post!

Caminhando a passos lentos

Caminhando a passos lentos

Olá coleguinhas!

Como estão vocês?

Já chegamos em Junho e eu to tipo: “aaaaah mds como assim já passou metade do anoooo?”

whaaaat?

Apesar de tudo estar passando muito depressa, ás vezes sinto que eu estou em passos lentos. Digo eu mesma, da percepção dos meus sentimentos e tudo que tem acontecido ao meu redor. Parece que eu respondo mais devagar e quando algo exige muito eu sinto um pouco de desespero.

Nesses últimos tempos, aprendi um pouco… pois o que é a vida sem aprendizagem não é? Me internalizei por um tempo, busquei me conectar mais comigo mesma e minha essência… Encontrei pessoas cheias de amor e com um coração lindo que vale a pena ter por perto… Conversei muito, contei causos e histórias, joguei muito e até participei de uma live sobre o World of Warcraft! (link aqui)

Mudei a carinha do blog (como já deu pra perceber). Falando um pouco sobre isso, eu adorei o tema, toda a personalização, mexi nele nos últimos dias com tanto carinho, que quando eu abro o blog parece que transborda da tela todo o carinho que coloquei aqui!

Tive algumas ideias, comecei alguns livros, terminei outros… E assim vamos seguindo. Dia após dia, luta após luta, momento após momento. Porque somos nós que podemos fazer nossa própria vida ser boa ou ruim.

Por fim, bem-vindos de volta ao bloguinho! Como presente de aniversário atrasado do blog, agora temos uma carinha nova!

Tenha um bom mês e lembre-se que:

“A magia vem do coração!”

Oiie de novo!

Olá novamente amiguinhos!

Hoje depois de muito refletir, pensar na vida e enfrentar luta atrás de luta eu resolvi voltar pra cá. No fim acabei não fazendo grandes comemorações pro aniversário do blog, mas passei com o coração muito grato por tudo e por esse cantinho cheio de amor. Ainda quero mudar algumas coisas por aqui, como o tema (tenho um que to de olho faz tempo, só falta o dindin pra comprar haha), mas blog parado não tem graça não é verdade? Enquanto não dá pra mudar, vamos tentar encher nossas vidas e dias com mais amor e pozinho mágico!

Hoje eu acordei inspirada a fazer um novo conto, não sei o que vai rolar e se vou compartilhar no blog, mas a cabeça ta fervilhando de ideias aqui! Me deu uma renovada ter essa bomba criativa ontem, me animou um pouquinho (criatividade, miga… vc é sempre bem-vinda  )

Senti que tava precisando reaparecer por aqui com um postzinho pelo menos. As coisas andam difíceis, várias dificuldades pra enfrentar, mas vamos seguindo. Uma hora tudo vai melhorar… eu creio. Mas não vou deixar minha chaminha da criatividade apagar e nem deixar de imaginar, nem de falar comigo mesma e de contar minhas histórias.

Isso é um até já, qualquer dia eu apareço por aqui de novo! Não me abandonem amigos!

Um beijo no coração

Meu Bullet Journal na minha Organização

Comecei a usar o Bullet Journal no começo do ano passado e além de adorar o método, me ajudou muito. Se você não conhece, dá uma olhadinha aqui. Com o tempo fui personalizando o BuJo da maneira que ficasse mais funcional pra mim.

minha capa e index do meu bullet journal *-*

Juntamente com ele uso o app Memocool que é um app mega fofo de notas. Você tem sua geladeira e cola as notas lá. Ele é uma gracinha! Uso ele pra anotar alguma coisa quando não estou com internet no celular e quando meu BuJo está longe. Além de anotar coisas para não esquecer e também gosto de anotar algumas gratidões e coisas para sempre lembrar.

memocool *-* adoro esse app

No Bullet Journal eu sempre faço uma capinha bonitinha pra cada começo de mês. Eu não senti a necessidade de usar o montly log por enquanto, como trabalho em casa raramente tenho algum compromisso fora. Uso mais o weekly log e faço ele diariamente. No BuJo eu personalizei bem as coisas que quero acompanhar. Tenho algumas páginas que uso bastante como página de livros lidos, de cuidados capilares, tenho página de gratidão, bucketlist e outras páginas personalizadas que eu adoro. É só amor!

Por ser totalmente personalizável, ter como encher de frufrus e abusar da criatividade, eu me animo todos os dias pela manhã para sentar e planejar meu dia.

E você, como se organiza? Já conhecia o Bullet Journal? Conta pra mim aqui nos comentários!

 

Pequenas metas para um mês melhor

Abril começou de modo leve e devagar. E a cada dia eu venho tentando desacelerar, estar mais presente e consciente.

Comecei a tentar praticar mais relaxamentos e meditação, buscando muito a ter mais consciência do que passa pelo turbilhão de pensamentos dentro da minha cabeça. Já tenho visto algumas pequenas diferenças, sentindo uma certa melhora no meu sono, e também trabalhando para viver um dia de cada vez.

Para esse mês, eu quero:

terminar um livro

fazer as morning pages (do modo escrito mesmo, tentei pelo computador mas não deu muito certo)

meditar mais

buscar estar mais presente

Sigo na busca pelo autoconhecimento, deixar as coisas irem e virem, e me apegar ao que for realmente útil. Estou lendo o livro 10% mais feliz de Dan Harris, que tem me ajudado a entender mais sobre se conscientizar, estar presente. Super indico a leitura.

Que tenhamos todos um bom mês.

Página 1 de 9
123456789