Labirinto de Sonhos

Labirinto de Sonhos

Sobre querer que todos gostem de você

É impossível gostar de todo mundo. Sempre vai ter alguém que o teu santo não bate. E olha, tá tudo bem.

E sobre querer fazer todo mundo gostar de você? NÃO É SUA OBRIGAÇÃO, MEU AMIGO. Sério, não é sua obrigação.

Há um tempinho eu era desse jeito, queria que todos gostassem de mim. Não suportava ver alguém zangado ou chateado comigo que ia desesperadamente fazer as pazes (mesmo quando a pessoa que tinha errado comigo). Eu ainda não gosto de ver alguém chateado comigo, mas tenho tentado controlar meus impulsos. Nem sempre consigo, mas é um processo.

Tento repetir constantemente: Eu sou uma pessoa. Creio que nem um robô conseguiria agradar todo mundo hahaha. E é impossível tentar agradar todo mundo, e tentar fazer com que todos gostem de você É EXAUSTIVO, MUITO EXAUSTIVO… acreditem, conselho de quem já tentou fazer isso e quebrou a cara lindamente.

Sem dizer que tentar mudar para agradar outra pessoa pode te transformar em versões distorcidas de si mesmo. E isso é horrível. Eu já tentei agradar todo mundo, já me sacrifiquei demais pra tentar ser a boazinha, mas busco entender que “nem todo mundo vai gostar de mim… E TÁ TUDO BEM”.

Vai ter pessoas que você vai encontrar na vida e vai ser tipo “meu Deus como eu não encontrei essa pessoa antes? fulaninho é maravilhoso, quero ser amigo dessa pessoa linda e cheia de energia”… mas também vai acontecer o contrário, e não há problema nisso. Cuide daqueles que gostam de você e se importam contigo e se importa de cuidar de si, pois isso é muito importante.

Seja gentil consigo mesmo e com os outros, busque ser honesto, ser verdadeiro.

Me lembro sempre  de uma frase que me marcou muito do live action de Cinderela em que a mãe diz pra ela:

Seja corajosa e seja gentil.

Essa frase é muito especial pra mim. E é isso que  quero dizer pra você hoje. Seja gentil com todos, seja corajoso de tirar da sua vida pessoas que não te fazem bem e nem contribuem para o seu crescimento. Cuide de você acima de tudo.

Esse post faz parte do projeto que criei aqui no blog chamado #inmyhands que é um espacinho para falar sobre saúde mental! Clique aqui para ver as outras postagens!

Tenha um momento só teu

Nos dias de hoje tudo está complicado. As circunstâncias da vida às vezes nos pegam de jeito e acaba sendo um baque, traz desânimo, falta de esperança e a sensação de que nada vai melhorar. Nesse meio tempo de período eleitoral, as pessoas estão com medo, há muito insulto, violência, desrespeito. O ambiente está pesado. Isso suga a energia da gente, deixa pra baixo. Em dias assim, talvez o melhor seja nos fechar um pouco. Digo por mim mesma, dei uma pausa de algumas redes sociais com o fim de evitar toda essa toxicidade, e isso me fez bem.

Certos momentos, tudo isso pesa tanto que parece que não vai dar pra aguentar. O sono vai embora, o desespero bate, as mãos tremem e a força pra fazer qualquer coisa simplesmente vai embora.

Nessas horas, o melhor é me fechar um pouco na minha. Tirar um tempo exclusivamente para mim, afastar, olhar para dentro e cuidar do eu interior. Manter a sanidade mental, cuidar da saúde mental e física, se dar um pouco de carinho, de amor.

Coloca uma música gostosinha pra ouvir, ou quem sabe uma música dançante e vai remexer o corpitcho.

Passa um creme nas mãos, faz um spa em casa, hidrata o cabelo, faça as unhas, tome água.

Pega um livro que tá parado, vai ler um pouco, ou começa uma nova leitura.

Pegue o celular ou alguma câmera e tira algumas fotos das coisas que te fazem feliz.

Ou começar uma série nova, ou talvez um filme.

Mas curte um momento só teu, sabe? É importante.

O mundo precisa de amor. E pra amar o outro, temos de nos amar primeiro. Seja amor e dê amor.

Esse post faz parte de um projeto com a IZA para falar de coisas que nos trazem felicidade. Não esqueça de passar no blog dela pra ver!

Projeto #inmyhands

Projeto #inmyhands

No meio de tanta coisa que eu tenho passado nos últimos tempos, tem sido difícil manter a calma, manter a paz interior. Passaram-se dias de desespero, dias de tristeza, dias de insegurança e dias de medo.

Por muitas vezes pensei que a melhor solução seria sumir, desaparecer desse mundo e desejar que nunca tivesse existido. “talvez se fosse outra pessoa em meu lugar as coisas seriam diferentes”. Admito que isso passou pela minha cabeça mais vezes que eu gostaria. A quem eu estava tentando enganar? eu sempre me senti uma fraude, indigna de receber qualquer coisa boa, não importa o que faça, as coisas simplesmente parecem não dar certo pra mim.

Depois de conversar bastante com minha terapeuta e meu esposo sobre, me lembrei de duas leituras que me marcaram bastante: os livros O Segredo e O Milagre da Manhã.

A questão está naquilo que atraímos do universo. Nós recebemos daquilo que damos. Somos energia, se estamos emanando coisas ruins, mesmo sem querer, acabamos atraindo mais coisas ruins para nossas vidas. Isso significa que nosso futuro está mais em nossas mãos do que pensamos. Minha vida segue e toma o rumo que eu vou decidindo a cada dia, conforme eu reajo às coisas que acontecem ao meu redor.

Não estou dizendo pra esquecer tudo, tacar o foda-se e viver como se não tivesse problema. Somos humanos, vamos nos sentir tristes se algo não der certo, e isso não é errado. Mas não pode permitir que aquilo tome controle das suas emoções. É mais sobre: “eu sei que algumas coisas na minha vida não vão tão bem nesse momento, mas isso é passageiro e vai melhorar. Eu decido olhar para o que vai bem na minha vida nesse momento, e isso está em minhas mãos”.

Com base nesse aprendizado que eu venho passado, quero dedicar um espaço aqui no blog para falar sobre isso, uma experiência pessoal que também pode ajudar outras pessoas passando por algo semelhante. Meu objetivo é falar um pouco também sobre saúde mental, que é tão importante e é algo que precisa ser falado.

Quero falar sobre como está nas suas mãos o modo como você reage e que isso vai influenciar na sua vida amanhã, ou daqui há uns anos, mas toda ação tem uma reação. Tudo que você faz hoje vai trazer uma consequência. Como eu quis fazer no formato de uma hashtag, decidi usar em inglês, a hashtag #inmyhands. Eu to bem animada e tenho certeza que isso vai me fazer um bem enorme. Espero que esse novo projetinho dure um bom tempo e possamos juntos aprender ainda mais sobre nós mesmos e construir um futuro ainda melhor.

Eu sou meu sonho

Eu sou meu sonho

Eu sou meu sonho. Por dias e dias sonho acordada, eu tenho um sonho pra vida, um sonho que pulsa em mim, que invade todo o meu ser, que me leva a outro mundo. É uma energia que corre por mim, que me impulsa a acreditar, que não me deixa desistir e que passa junto a mim pelas adversidades. É minha luz, que me chama pra mais perto, me convida a dar as mãos  e adentrar o labirinto.

É aquela vozinha interior que me faz ver flores onde não há e me mostra como eu tenho o poder de mudar o modo como eu vejo tudo ao meu redor. É como se fosse uma fada madrinha que me impede de cair na tristeza. É também onde eu encontro força e fé, porque acreditar é a minha magia.

Por incontáveis vezes eu quis desistir, por incontáveis vezes eu disse a mim mesma: “ já chega, vou ser uma pessoa sem sonho nenhum, porque não vale a pena, isso é muito grande pra mim”… Sempre parecia que eu tinha abandonado-o, mas quando percebia, estava ali novamente, a pequena chama ardendo dentro do meu coração. Sinto que nasci pra esse sonho, e ele pra mim. Sem sombra de dúvidas, eu sou meu sonho.

[Resenha] Zen para distraídos

Sinopse: Viver nos grandes centros urbanos é um convite diário à distração. Manter o foco em tarefas simples, por mais fácil que pareça, se torna impossível com o excesso de informações e afazeres diários. Zen para distraídos aplica conceitos do budismo para melhorar o nosso bem-estar. A partir de práticas de meditação, de conceitos básicos do zen e outras técnicas milenares será possível manter o foco, desenvolver tarefas simples com muito mais concentração, ser mais assertivo, atingir objetivos e muito mais.

Editora Academia / Páginas: 224 páginas / Autor: Monja Coen e Nilo Cruz

A monja Coen tem um programa de rádio, onde aconselha pessoas nas mais diversas situações e esclarece dúvidas sobre meditação e zen budismo. Fala muito sobre meditação e como seus benefícios atingem e refletem em nossas ações e no modo de viver.

essa xícara de amigurumi fui eu que fiz ❣◕ ‿ ◕❣ e adorei o resultado

A verdadeira paz mental não se procura fora de si mesmo, não depende de outras pessoas ou situações.

Um bom livro pra quem está buscando autoconhecimento e aprimoramento, na jornada de se conhecer internamente, praticar olhar para si. Traz várias reflexões sobre como o modo que tratamos tudo ao nosso redor têm importância, sobre a importância de colocar carinho nas nossas ações, reflexões de sobre como perdemos a vida nos preocupando com o futuro ou vivendo no passado ao invés de buscar viver o momento presente, o agora que importa.

Traz uma leitura leve, com vários trechos que me trouxe momentos de reflexão e entendendo melhor a importância de trabalhar no modo como vejo a vida e da importância da prática da meditação.

“Aquilo que nós recebemos de bom nós temos que transmitir”

Adquira já!

Até a próxima, amigos! •ᴥ•

Battle for Azeroth – World of Warcraft

Dia 13 de agosto chegou a nova expansão de World of Warcraft, Battle for Azeroth

Eu estava super mega empolgada depois do cenário de cerco a Lordareon, então a ansiedade tava a mil. Tirei folga porque a intenção era upar insanamente (mas o cansaço venceu). Foram dias fazendo muita quest e me divertindo pra caramba.

Minha pandinha linda toda fofa de piratinha!

Começa lá em Silithus (onde o Sargeras fincou a espadona que machucou o planetinha), lá o Magni quer falar contigo e diz que a própria Azeroth quer nos dar um presente. E o titã nos dá o coração de Azeroth, parte do seu poder para usarmos para deter as forças que assolam o mundo (em forma de colar, pra usar perto do <3 – amei essa parte) e através dele podemos absorver azerita (o sangue de Azeroth) para ficarmos mais fortes.

Fiz as quests da Jaina para ir pra Kul’Tiraz e gente, Porto de Boralus é apaixonante! Todo cenário de pirata, uma trilha sonora maravilhosa e muita muita quest. O primeiro mapa que fiz foi Drustvar, que tem uma história muito boa e que me agradou bastante. Eu joguei com o modo de guerra ativado (vulgo pvp) até o nível 114, depois desliguei e fui ser feliz haha Peguei as quests para começar a Campanha de Guerra, mas escolhi terminar os mapas de Kul’Tiraz primeiro antes de ir para Zandalar.

Kul'Tiraz – mapa da Aliança

Zandalar – mapa da Horda

 

Na sequência, fiz o mapa de Vale Trovamare e depois o Estreito Tiragarde. Quase terminando o último mapa, cheguei no nível 120, consegui aproveitar bem os mapas, parava pra minerar ou pegar tesouros (aproveitar pra upar profissão é o negócio né?) e encontrar lugares legais.

Referência a Ursinho Pooh em Trovamare <3

Terminei os mapas e fui começar a Campanha de Guerra, muita coisa pra fazer e Zandalar é bem legal. Precisei acelerar um pouco essa parte porque queria liberar logo as missões mundiais.

Logo depois que termina as histórias e a Campanha de Guerra, habilitam as missões mundiais, o antigo apito de Argus funciona em Kul’Tiraz e Zandalar, e dá uma boa ajudinha nas missões.

Pra mim valeu a pena, teve muita quest pra fazer, boas histórias, npc’s carismáticos e personagens icônicos (alô Filinto!)

A história da Jaina Proudmore que acontece depois do nível máximo pra mim foi incrível e: JAINA RAINHAAAAAA!

Jaina Rainhaaaaaaaa

Agora ainda tem bastante trabalho pela frente, várias conquistas pra pegar, reputações pra upar.

Nesse post trago mais sobre a minha experiência nesse comecinho de nova expansão, se tiver alguma dúvida ou queira conversar sobre, só me chamar! 😀

Lareil se divertindo!

Gostariam de ver mais postagens como essa por aqui? Me deem a opinião de vocês pra tornar o bloguinho ainda melhor e aconchegante!

Um beijo no coração!

Good Things in August

Apesar de achar que o mês de agosto tá passando devagar, parece que tá passando meio rápido também… já estamos no terceiro domingo do mês e chegou mais um dia de post sobre as pequenas felicidades ao nosso redor, projetinho com a Iza de exercitar o olhar e perceber as coisas boas que acontecem e muitas vezes perdemos no meio da correria da vida.
  • Esse mês foi de trabalhar bastante… muita coisa lá onde eu trabalhava, mal dava tempo de respirar
  • Depois que cortei meu cabelo, comecei a ousar mais com ele soltinho e deixar as ondinhas livres pra viver. Me deu uma sensação de liberdade e me senti mais bonita
  • A expansão de World of Warcraft chegou! Tirei uns dias pra jogar muito Battle for Azeroth e foi maravilhoso, me diverti muito, relaxei e descansei (ah, vai ter um postzinho sobre a expansão nos próximos dias, fiquem de olho)
  • Tomei coragem e fiz o segundo furo na orelha… escolhi um brinco de estrelinha que adorei. To amando e quero olhar no espelho toda hora, nem acredito que depois de anos sonhando em fazer isso eu fiz haha
Quero terminar esse post com uma mensagem pra você e principalmente pra mim mesma:

Algumas coisas ruins acontecem, mas tenta não deixar as nuvens negras te amedrontarem, não deixe de acreditar que o sol está brilhando lá fora.

Dá uma passadinha no blog Dose Criativa pra ver as pequenas felicidades da Iza
Um olhar de amor

Um olhar de amor

Por um pequeno momento, olhei no espelho e vi alguém que merecia ser amada… Parei alguns minutos diante de mim mesma, observei meu olhar cansado, meu cabelo desgrenhado e dentro dos meus olhos alguém que está tentando ser forte, e sendo mais forte do que até imaginava que seria. Me vi com olhos de amor, um filme de toda minha vida se passou pela minha cabeça… onde eu deixei de ser importante para mim mesma? Quando foi que eu me abandonei? Vi amor em mim, muito mais do que eu sou gentil com as pessoas, muito além do amor que dou aqueles que eu amo. Vi amor infinito, vi o amor mais puro e sereno, uma sensação de anos atrás…

Quantas vezes eu esqueci, pelos problemas e desafios da vida, deixei de cuidar de mim. Algo pequeno você pode fazer por você. Que tal um abraço? Ou algum cuidado, quem sabe uma máscara facial ou até fazer as unhas? Ou hidratar o cabelo? Sentar e ler um bom livro… Por muitas vezes eu pensei que estaria cuidando de mim se fizesse algo "importante", mas o amor está nas pequenas coisas. O amor por você mesmo se encontra naquela música que você para pra dançar, se encontra em decidir escovar o cabelo 99 vezes antes de dormir (experiência pessoal, dizem que deixa com mais brilho). O amor está no cuidado, no olhar para si e ver amor, e nada além de amor.

Esse post faz parte de um projetinho de amor do blog Labirinto de Sonhos e Dose Criativa (clique para visitar o blog da Iza)

A conexão mais importante

Por muito tempo eu vivi pensando nos outros, e olhando bem lá atrás, desde a minha infância eu tinha vergonha de simplesmente ser eu. Me escondia, sempre deixava meu cabelo preso, não levantava minha voz, aceitava o que me diziam pra fazer quase sem questionar. Daí surgiram grandes correntes que me acompanharam por muito tempo. E demorei muito para vê-las,

A maior delas é a do “não” – não podia sair, não podia ver x filme ou desenho, não sabia dizer “não” para ninguém, aceitava tudo, não podia falar o que estava pensando, não faz isso, não pode aquilo… Nisso neguei muito de mim mesma para no mínimo tentar me encaixar em algum lugar e ser amada. Mas as pessoas só me achavam fofinha e me queriam por perto somente quando era conveniente, aceitava “amizades” que só me faziam mal por pequenos momentos de alegria, aguentava calada pra não fazer feio, pra não me rebelar e ser ainda mais desprezada do que eu era.

Ultimamente, a teoria de tacar o foda-se (obrigada Mark Ranson por tantas lições maravilhosas no livro A Sutil arte de ligar o foda-se) e isso tem me ajudado a perceber as coisas totalmente sem sentido as quais eu me aprisionei por anos até agora. E meu maior desejo é me livrar  dessa prisão. Quero voar e ser livre, não quero depender de um amigo que só fala comigo quando lhe é conveniente, quero gente verdadeira na minha vida, e o mais importante: quero ser verdadeira comigo mesma. Sei decor e salteado todos os meus defeitos, tudo que eu não gosto na minha personalidade, cada detalhe do meu corpo que me desagrada; mas não sei olhar pra dentro de mim, não sei chegar no mais fundo do meu ser e olhar para meus sentimentos, não sei me dar amor. Não sei como me amar. Em algum momento lá trás eu me perdi me mim, vivo vagando e fazendo tudo o que querem de mim, pois me sinto totalmente perdida.

Sinto necessidade de me conectar comigo mesma. Preciso me encontrar, descobrir meus medos, aprender a cuidar de mim, me dar carinho, me encher de amor e curtir a minha própria presença. Mas eu confesso, não faço ideia de como fazer isso. Decidi então começar de uma forma gentil… Fiz um café da manhã com carinho e eu curti cada momento comigo, limpei minha casa e me senti bem com isso. Começar cuidando de uma ferida, sempre gentil, dançar um pouco sozinha, me dar um abraço e pensar em mim. O que eu quero agora? Quem sou eu?

Essa conexão com meu eu interior é a conexão mais importante de todos, me conhecer melhor que todas as outras pessoas, pois eu sou a mais importante pra mim.

Se conecte consigo mesmo antes de se conectar com outros.

Página 1 de 9
123456789